TEMA: Ele vai voltar!

Pr. Cesinha Sitta

A Bíblia nos fala a respeito de céu e inferno. Por mais que, para muitas pessoas, estes lugares não sejam reais, nós, cristãos, temos muitas referências bíblicas a respeito deles, aos quais, ao longo deste estudo, vou mencionar e refletir.

         Antes de falarmos de nossa vida após a morte, quero sugerir uma breve reflexão a respeito desta que ainda precisamos concluir. Pense comigo: Como a Bíblia nos direciona a viver a vida nesta Terra? O texto de 1 Coríntios 15.19 nos alerta:

Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

1 Coríntios 15.19

 

         Este versículo se refere a pessoas que até esperam em Jesus Cristo, porém, esperam Nele somente por algo desta Terra. Talvez esperem por uma cura física, uma vitória financeira, pela casa e carro dos sonhos, etc. A Bíblia e o próprio Deus consideram estas pessoas "miseráveis". Portanto, nós devemos tomar cuidado para não fazer parte deste grupo de cristãos. Devemos nos enquadrar no grupo de pessoas que esperam pela pátria superior (Hb 11.16a).

         Em meio a tantas incertezas que temos nesta breve existência, existe a convicção de que céu e inferno existem e que o Senhor Jesus em breve voltará. Ele virá para buscar Seus filhos amados, para recompensá-los pela vida fiel que escolheram viver (Ap 22.12).

         Além de incertezas, a vida na Terra ainda nos traz muitos sofrimentos, como o próprio Jesus nos alertou (Jo 16.33). São crises, problemas e lutas sem fim, porém, o próprio céu deve ser nosso consolo, como está escrito:

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

1 Tessalonicenses 4.16-18

 

          O versículo 18 nos diz que o fato de que o Senhor virá deve ser consolo para todos nós. Sua volta é certa. Jesus, antes mesmo de subir aos Céus, prometeu que voltaria. Ele disse que iria nos preparar lugar, para nós, os filhos de Deus (Jo 14.1-3). Você pode imaginar como será este lugar preparado pelo próprio Cristo? A Bíblia nos dá algumas dicas. Vamos falar sobre elas à seguir.

 

1. COMO É O CÉU?

         Deus nos mostrou algumas coisas a respeito do céu que não devemos ignorar. São pequenos detalhes que revelam coisas maravilhosas, que ainda não vimos, mas que podemos esperar. Vou expor estas características em subdivisões para facilitar seu estudo:

1.1 No céu não haverá mais choro, morte, pranto, clamor e dor (Ap 21.4)

1.2 No céu, não haverá necessidade de sol, nem lua, pois a Glória de Deus o iluminará o próprio Cordeiro será sua lâmpada (Ap 21.23).

1.3 No céu não haverá noite (Ap 21.25).

1.4 No céu, tudo será feito novo (Ap 21.5).

1.5 No céu haverá a glória de Deus (Ap 21.11).

1.6 No céu, não haverá templo, pois o Senhor Jesus e o Deus Todo-Poderoso serão o seu templo (Ap 21.22).

1.7 No céu não haverá nada impuro ou pecaminoso (Ap 21.27).

 

         Apesar de todas estas boas notícias a respeito do céu, a melhor delas está descrita no versículo 3 de Apocalipse 21:

E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.


Apocalipse 21.3

         Na verdade, o melhor do céu é o próprio Deus e a plenitude de tudo o que Ele é. E, se este lugar é tão maravilhoso, nosso desejo de ir para lá precisa nos motivar a um grande PREPARO.

 

2. ME PREPARANDO PARA O CÉU.

         O principal motivo pelo qual devemos estar preparados para o céu é o fato de que não sabemos o dia nem a hora em que o Filho voltará (Mt 24.36). Jesus fez uma analogia entre a Sua volta com o dilúvio que ocorreu na época de Noé (Mt 24.37), dilúvio este que matou o mundo inteiro, salvo ele e sua família. Naquele tempo, o povo de sua época não se preparou para o dia de sua morte, e sem perceber, foram surpreendidos por uma grande chuva. Assim sucederá no dia da vinda do Filho do Homem. As pessoas apenas se surpreenderão ao notarem a ausência de outras (Mt 24.40-41).

         A Bíblia também compara a volta de Jesus com um ladrão. Ora, não sabemos quando o ladrão virá, por isso, precisamos nos manter em vigia pela nossa casa. Se soubéssemos quando ele viria, nos prepararíamos (Mt 24.43).

         A respeito de como o Senhor voltará, a Bíblia ainda diz que este momento será rápido como é rápido o caminho de um relâmpago que sai do oriente e chega ao ocidente (Mt 24.27). A respeito disso, ainda está escrito que esta volta ocorrerá na velocidade de um piscar de olhos e ao som da última trombeta ocorrerá (1 Co 15.52).

         Diante de tudo isso, nossa postura deverá ser sempre de alerta. O Senhor Jesus nos disse para vigiar, pois não sabemos o dia de sua volta (Mt 24.42).

         Neste grande dia, a promessa do Senhor é que todo joelho se dobrará (Rm 14.11), ou seja, todas as pessoas, ao redor do mundo, reconhecerão que Jesus Cristo é o Senhor. Porém, isto não significa que terão tempo para se arrepender, pois já terá sido tarde demais.

         A Bíblia afirma a respeito da volta de Jesus:

Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém.

Apocalipse 1.7

 

         Mais uma vez, a Bíblia afirma que Ele virá. A questão é: porque Ele virá?

 

3. PORQUE JESUS VOLTARÁ?

         Já se perguntou porque Jesus voltará? Sabemos que Ele já cumpriu Sua missão aqui nesta Terra. Que motivos, então, Ele teria para retornar para este mundo tenebroso?

         Em primeiro lugar, Jesus voltará porque nos quer. Sim, Ele nos ama e, por isso, voltará para nos buscar. Afinal, Ele disse que estaria preparando lugar para morarmos ao Seu lado (Jo 14.1-3).

         Jesus voltará, em segundo lugar, porque prometeu que o faria (Ap 22.12).

         Outra razão pela qual Ele voltará é porque o objetivo de Deus, ao criar a humanidade, sempre foi habitar e ter intimidade conosco. Vemos isto desde a criação do homem e do Jardim do Éden, que, inclusive, simboliza a nova Jerusalém. Sua tentativa persistente de nos ter ao seu lado se evidencia ainda mais na vida dos patriarcas, dos profetas, juízes e na vida do próprio Jesus Cristo (Jo 3.16). Ele usou todas estas pessoas na tentativa de nos reconciliar com Ele outra vez.

         O último motivo pelo qual cremos que Jesus Cristo voltará é porque penhorou em nós algo muito valioso. A Bíblia fala que fomos selados com o Espírito Santo da promessa (Ef 1.13). Para que serve um selo senão garantir que a carta chegue ao seu destino? Assim também o Espírito é a garantia de que um dia chegaremos a este céu e que habitaremos eternamente ao lado do nosso Pai. A Bíblia também fala que Deus nos deu o penhor do Espírito. Sendo este Espírito algo muito precioso para nós e para Ele, certamente que voltará. Diante disso, precisamos ter sempre um bom relacionamento com o Espírito Santo de Deus, tomando sempre cuidado para não afastá-Lo de nós.

 

4. COMO É O INFERNO?

         O inferno existe e, infelizmente, muitos irão para lá. A Palavra de Deus diz que a amizade com o mundo se constitui em inimizade com Deus (Tg 4.4), ou seja, o inferno estará cheio de inimigos de Deus. Por isso, precisamos tomar cuidado, pois se formos achados infiéis e com pecado, é para lá que iremos.

         O pecado que cultivamos aqui nesta Terra será o mesmo que nos levará para o inferno. A Bíblia fala, em Apocalipse 21.7, quais as faltas que levam pessoas a uma eternidade de tormento:

Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.

Apocalipse 21.7

 

         A Palavra de Deus também diz que no céu não entrará impurezas (Ap 21.27), isto significa que tudo que é impuro terá seu lugar no inferno, e isto inclui o próprio Deus. Posso concluir então que a pior coisa do inferno é a ausência de Deus.

         O inferno é, com certeza um lugar horrível, principalmente porque não foi preparado para nós. A Bíblia diz que ele foi criado para o Diabo e seus anjos (Mt 25.41). Em Mateus 25.30 também está escrito que no inferno haverá choro e ranger de dentes. Esta não é a vida que Deus preparou para nós. Desde o início, Seu plano era nos levar para o céu. Porém, o plano do Diabo sempre foi destruir nossa eternidade com Deus (Jo 10.10).

         O versículo que citei acima nos diz que o Diabo veio para matar, roubar e destruir. Ele procura fazer estas coisas com nosso relacionamento com Deus. Para isso, ele usa de algumas estratégias: [1] nos fazer pensar que céu e inferno não existem, [2] nos levar a pensar que Deus, em sua bondade, jamais enviaria alguém para o inferno (na verdade, Deus não envia mesmo, mas são as pessoas que, por seu estilo de vida, decidem ir para lá), [3] nos levar a pensar que coisas finitas têm mais valor que as infinitas, nos levando a correr atrás de tesouros que a traça e a ferrugem corroem. Com esse estilo de vida, onde as ilusões deste mundo são prioridade, não há tempo para se pensar em salvação.

         O jovem rico é um exemplo de quem escolheu pensar nas coisas desta vida terrena. Ele queria herdar o céu, mas não quis tirar os olhos das riquezas deste mundo. A verdade é que é impossível manter os olhos em dois lugares: ou olharemos para o céu, ou olharemos para a terra. O jovem rico fez a sua escolha (Mt 19.22).

         A escolha que o jovem rico fez foi viver sua vida na perspectiva desta terra. Mas o Senhor nos convida a viver sob uma perspectiva do céu.

 

5. VIVENDO SOB A PERSPECTIVA DO CÉU.

         Para entender esta maneira de viver, basta pensarmos que não somos deste mundo (Jo 17.14). Se não somos daqui e somos do céu, devemos viver como um cidadão do céu, com os costumes e cultura deste maravilhoso lugar.

         Paulo nos dá dicas muito importantes:

Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.

2 Coríntios 4.17-18

 

         Paulo também disse, em sua carta aos Romanos, que os sofrimentos que enfrentamos ao longo de nossa existência não podem ser comparados com a glória que nos será revelada (Rm 8.18).

         Podemos enxergar este estilo de vida na vida de muitos homens de Deus. O versículo 11 de Hebreus nos fala de vários deles. Foram homens não alcançaram o que lhes havia sido prometido para esta terra, pois almejavam uma pátria superior. O anseio por algo superior e eterno fez a promessa parecer insignificante, mesmo que fosse legítima e vinda do Senhor.  E isto porque eles reconheceram que eram apenas estrangeiros e peregrinos na terra (Hb 11.13-16).

        

Conclusão

         O Senhor Jesus, em sua oração, declarou:

Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.

Mateus 6.10

 

         Ao declarar estas palavras, Jesus, na verdade, pede ao Pai que pudesse viver um pouco do céu na terra, já que lá era o seu destino. Assim deve ser nossa oração e vida. Da mesma forma que aqueles cujo destino é o inferno já estão vivenciando-o em suas vidas aqui na terra, assim deverá ser conosco a respeito do céu. Se vamos para lá, então devemos desejar hoje mesmo que o céu desça sobre nós.

         Quero encerrar o estudo falando de Jesus, que, sabendo donde tinha vindo e para onde ia, toma uma atitude que deve ser imitada por todos nós. Se eu e você também temos esta certeza, a certeza da nossa salvação, façamos como Jesus, que sabendo que ia para Deus, pegou uma toalha e água e lavou os pés de todos os seus discípulos (Jo 13.3-5). Isto significa que não basta apenas desejar ir para o céu, precisamos levar o maior número de pessoas possível conosco: nossa família, discípulos, amigos. E isto para que possamos enxergar a multidão que João visualizou:

Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; E clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro

Apocalipse 7.9-10